Nomofobia – O VÍCIO DIGITAL

( Para saber mais assuntos como este, estude sobre Psicanálise Clínica – Curso de Formação Psicanalítica EAD)

Há vários tipos de fobias específicas como, por exemplo, a fobia social, a aracnofobia (medo de aranha), a acrofobia (medo de altura) e a claustrofobia (lugares fechados), Nomofobia (medo irracional de estar sem celular ou aparelhos eletrônicos no geral), etc.

Os Transtornos Fóbico-Ansiosos, ou seja, as fobias, integram um grupo de desordens mentais que são principalmente definidos pelo sentimento de intensa ansiedade, causada por objetos específicos ou situações que não ofereçam um perigo real.

A fobia é um medo extremo e irracional, que traz sérias limitações no desempenho sócio- ocupacional do indivíduo fóbico, assim como pode contribuir para o surgimento de outros problemas, entre eles a depressão.

As pessoas com ansiedade fóbica enfrentam extremo desconforto e angústia diante desses objetos/situações ativadores do medo e da ansiedade, por isso tendem a evitá-los de todas as formas possíveis.

A intensidade dos sintomas pode tomar severas proporções, e levar o indivíduo a uma sensação insuportável e limitante de pavor.

O perigo é sentido como algo fatal e inquestionável, de tal forma que o indivíduo fóbico não consegue sentir o mínimo alívio, mesmo diante do entendimento de que os outros não vejam a mesma ameaça.

Assuntos como este são tratados no CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE CLÍNICA.

O que é nomofobia?

Nomofobia é um transtorno que é denominado a partir da junção da expressão no–mobile com a palavra fobos. Estamos vivendo numa era “Tecnológica”.O século XXI é conhecido como o século das tecnologias. O nosso dia a dia é composto por computadores, internet e celulares. É notório que com toda essa interatividade no cotidiano dos indivíduos, estão surgindo mudanças comportamentais, psicológicas, ambientais e nos relacionamentos pessoais e sociais. Consideramos de suma importância que cada indivíduo saiba que a má utilização das tecnologias pode levar ao Transtorno de Nomofobia, tendo como principais características: ansiedade, medo e fobias

Nomofobia é o medo irracional de estar sem celular ou aparelhos eletrônicos no geral.

Ela está relacionada ao vício em outras tecnologias como computadores e videogames, redes sociais, Ou seja, quanto maior a dependência digital, maior a fobia.

A OMS define a adicção como doença, a dependência digital e a nomofobia são doenças relativamente recentes, que surgiram pelas mudanças e avanços tecnológicos da/na sociedade.

As novas tecnologias tornaram a comunicação entre indivíduos tão fácil quanto o aperto de um ou dois botões. A facilidade de entrar em contato com outras pessoas e, ao mesmo tempo, de estar ao alcance delas traz inúmeras consequências, tanto positivas quanto negativas.

Nesses casos podemos fazer um paralelo: imagine um usuário de drogas na hora em que ele pensa em ficar sem a droga. Ele apresentará sintomas tais como: taquicardia, sudorese, irritabilidade, impaciência, pânico. Segundo os médicos e outros especialistas da área, ocorre o mesmo com quem possui o vício do celular.

E não são poucas as pessoas que apresentam atualmente esta condição.

Apesar de ser tênue a linha que separa a dependência do uso excessivo (abusivo), podemos identificar que muitas pessoas tem demonstrado o nível de maior comprometimento do chamado vicio digital.

Segundo o levantamento de pesquisas, 176 milhões de pessoas no mundo são viciadas em tecnologia.

Há uma estimativa que atualmente no Brasil 10% dos brasileiros sofrem com esse mal e com a velocidade com que a internet  é propagada, esse número tende a aumentar.

Os usuários vão se distraindo pelas facilidades que os aparelhos tecnológicos têm e vão esquecendo como controlar o tempo gasto com eles.

A gravidade do problema está levando a uma mobilização mundial em busca de soluções.

Uma das frentes foi recentemente em 18 de junho deste ano o reconhecimento do distúrbio de jogo no Código Internacional de Doenças, o chamado CID que está em sua décima primeira versão.

Esse distúrbio é caracterizado por um padrão de comportamento persistente ou recorrente de jogos (“jogos digitais” ou “videogames”), que podem ser online (ou seja, pela internet) ou off-line.

Há várias formas para identificar este problema.  A psiquiatria está cada vez mais empenhados em dar foco ao problema mais geral que é a chamada nomofobia. Pois o distúrbio de jogo é apenas uma faceta da questão.

Como estamos Ajudando? Doamos uma Sessão de Terapia Grátis.

A Associação Brasileira de Psicanálise Insight, para  ajudar no combate a  Nomofobia, abriu atendimento a internautas através da Plataforma de Análise Online, a  clickanalise.com.br. Através da plataforma é  possível agendar a primeira sessão de terapia inteiramente grátis e receber instruções para continuar o tratamento desta e demais condições que precisam de ajuda terapêutica.

Como fazer parte do projeto e ajudar as pessoas atendendo Online?

Acesse o site e faça parte de nossa equipe: https://clickanalise.com.br/trabalhe-conosco/