O transtorno bipolar é um transtorno cerebral que causa mudanças incomuns no humor, na energia, nos níveis de atividade e na capacidade de realizar as tarefas do dia-a-dia e atinge cerca de 4% das pessoas em idade adulta. O número de pessoas diagnosticadas com este quadro pode chegar a 6 milhões de pessoas no Brasil.

Os quadro sintomático de alguém com esta condição clínica são variações expressivas e sentimentais extremas, de picos à picos sendo o comportamento exaltado e energizado classificado como episódios maníacos tendo como principais efeitos os seguintes sintomas:
– Sentir-se muito alegre ou animado;

– Sentir-se nervoso, ansioso ou alterado;
– Falar muito e rapidamente sobre vários assuntos não relacionados;
– Ficar inquieto, irritado ou suscetível;
– Ter problemas para descansar ou dormir;
– Acreditar ser capaz de fazer muitas coisas e ficar muito ativo;
– Ter vaidade excessiva;
– Apresentar uma autoestima exagerada;
– Submeter-se a coisas arriscadas, como gastar muito dinheiro de uma vez só ou fazer sexo sem proteção, já que acredita ser invencível.

Já os mais baixos e pessimistas, episódios Depressivos com sintomas de:

– Sentir-se deprimido ou extremamente triste;
– Sentir-se muito preocupado ou vazio;
– Ter dificuldades de concentração;

– Esquecer-se muito das coisas;
– Perder o interesse em atividades prazerosas ou ficar apático;

– Sentir-se cansado ou sem energia;
– Tender ao isolamento e à solidão;
– Ficar dias sem comer ou comer demais;
– Ter dificuldades para dormir ou dormir demais;

– Pensar em morte ou suicídio.

A bipolaridade é dividida em quatro tipos básicos, todos eles com as claras e extremas mudanças no humor, energia e níveis de atividade. Sendo:
1- Transtorno Bipolar I – definido por episódios maníacos que duram pelo menos 7 dias, ou por sintomas maníacos que são tã

o graves que a pessoa precisa de cuidados hospitalares imediatos. Geralmente, episódios depressivos ocorrem também, tipicamente durando pelo menos 2 seman

as. Episódios de depressão com características mistas (com depressão e sintomas maníacos ao mesmo tempo) também são possíveis.

2- Transtorno Bipolar II – definido por um padrão de episódios depressivos e episódios hipomaníacos, mas não os episódios maníacos desenvolvidos acima.
3- Desordem ciclotímica – definida por numerosos períodos de sintomas hipomaníacos, bem como inúmeros períodos de sintomas depressivos de pelo menos 2 anos (1 ano em crianças e adolescentes). No entanto, os sintomas não atendem aos requisitos diagnósticos para um episódio hipomaníaco e um episódio depressivo.
4- Outros Transtornos Bipolares e Relacionados Especificados e Não Especificados – definidos por sintomas de transtorno bipolar que não correspondem às três categorias listadas acima.

O tratamento costuma ser necessário por toda a vida e geralmente envolve uma combinação de medicamentos e psicoterapia.